Ostomizados de Friburgo precisam de ajuda.

 

 

 

 

:| CAPA PARA PROTEGER A BOLSA COLETORA NO BANHO |:

 

 

Um dos principais motivos do aparecimento de complicações na pele em torno dos estomas e, ainda, da redução da aderência e da vida útil das placas é a constante umidade do conjunto placa e bolsa em decorrência dos banhos. Por conta disso, essa é uma das principais preocupações das pessoas, recentemente, ostomizadas.

 

Como fazer para não molhar a placa e a bolsa coletora durante o banho?

 

Foi tentando responder a essa questão que o autor dessa página desenvolveu um acessório que chamou de "capa para bolsas coletoras". Com ela, os ostomizados ficam menos propensos aos males provocados pela permanência de material molhado sobre a pele, como é o caso dos fungos, etc.

 

 

Capa pronta
Fig.1 - Capa

Essa capa, depois de pronta, se apresenta como na figura ao lado e serve para proteger a bolsa coletora durante o banho. Ela foi concebida de forma a proteger totalmente a bolsa do contato com a água. Além disso, ao contrário do que ocorre nos processos de proteção usuais, ela funciona com uma quantidade mínima de fita adesiva sobre a pele.


 

Nesse ponto é importante frisar que esse acessório é usado pelo autor dessa página a cerca de 5 anos. Nesse período, a pele em volta do seu estoma se manteve em perfeitas condições e não se registrou nenhuma outra ocorrência que pudesse comprometer a sua saúde. Contudo, sugere-se prudência com relação a escolha de quaisquer materiais que possam causar danos a saúde e, ainda, pede-se atenção especial com as eventuais alergias provocadas pelo uso de fitas adesivas. Procure utilizar produtos confiáveis e anti-alérgicos.

 

 

A seguir serão apresentadas as instruções básicas, passo a passo, para construção de capas protetoras para bolsas coletoras de fezes ou urina.

 

 

1 - As medidas

 

 

Primeiramente, verifica-se as medidas das placas e das bolsas que se pretende proteger, tendo em vista que esse projeto foi desenvolvido para placas utilizadas em estomas com até 40 mm de diâmetro e para bolsas com largura máxima de 15 cm.

 

Isso pode ser feito como mostrado abaixo.

 

 

Placa flexível
Fig.2 - Placa

O diâmetro do círculo mostrado na capa (Fig.1) e indicado pela letra A é obtido com a medida ? da placa ao lado, acrescida de 1,5 cm.

 

 

Bolsa coletora
Fig.3 - Placa

A largura da capa da Fig.1 é obtida com a medida ? da bolsa ao lado, acrescida de 3 cm

 

 

2 - Os materiais

 

 

A seguir devemos separar os materiais necessários a confecção da capa, que nesse caso será feita para placas utilizadas em estomas com até 40 mm e bolsas com largura máxima de 15 cm.

 

Esses materiais são vistos na lista e na Fig.4.

 

 

Os materiais necessários
Fig.4 - Materiais

a) - 1 retângulo em plástico grosso medindo 45 cm x 18 cm;
b) - 1 tesoura;
c) - 1 caneta esferográfica preta ou similar;
d) - 1 objeto circular com cerca de 6 cm de diâmetro que pode ser uma tampa de vidro de maionese ou a capa de um rolo de esparadrapo, etc. (confira medida conforme Fig.2);
e) - Cerca de 40 cm de vinil adesivo usado em luminosos ou fita cirúrgica, esparadrapo, etc.

 

OBSERVAÇÕES:

 

1) O retângulo citado em (a) pode ser confeccionado com um plástico de boa consistência e qualidade, considerando-se a durabilidade desejada para o acessório.

 

2) O vinil adesivo mencionado em (e) é usado em placas, painéis, luminosos, etc formando suas letras, desenhos e tem durabilidade superior a 5 anos, mesmo exposto as intempéries. Contudo, se pode usar um outro tipo de fita adesiva de boa qualidade e até mesmo pode se fazer o fechamento lateral com costura ou solda para plásticos.

 

 

3 - O molde

 

 

O próximo passo é confeccionarmos um molde, que no nosso caso se assemelha a um retângulo medindo 18 cm de largura por 45 cm de comprimento.

 

 

O molde
Fig.5 - Molde

A planta com todos os detalhes desse molde pode ser vista clicando-se na imagem ao lado ou, ainda, pode ser baixada para o seu computador na seção de DOWNLOADS do site.

 

 

4 - O riscado

 

 

De posse do molde e dos materiais descritos no item 2, riscamos o plástico como visto a seguir.

 

 

Riscando o molde
Fig.6 - Risco do molde
Usando uma régua ou a mão livre riscamos o contorno do molde sobre o plástico, como na Fig.6.

 

 

Riscando o círculo para encaixe da bolsa
Fig.7 - Risco com tampa

Usando uma tampa riscamos o seu contorno sobre o plástico, como na Fig.7.

 

 

O risco pronto
Fig.8 - Risco pronto

Ao lado se vê como ficará o risco pronto.

 

 

6 - O recorte

 

 

Nessa fase basta recortamos os riscos.

 

 

Cortando o plático para a capa
Fig.9 - Corte

O risco feito com a caneta esferográfica fica bem visível e isso facilita o recorte.

 

 

7 - O fechamento

 

 

No passo seguinte, dobramos o plástico como mostrado no molde e iniciamos o fechamento.

 

Os materiais
Fig.10 - Materiais

Note que o fechamento das laterais pode ser feito com vinil adesivo, fitas adesivas ou até mesmo com esparadrapo.

 

 

O fechamento
Fig.11 - Fechamento

Com a fita juntamos e fechamos as laterais, de tal forma que a água não entre pelos lados.

 

 

O fechamento lateral
Fig.12 - Detalhe

Veja no detalhe ao lado como é feito o fechamento com o vinil adesivo. O detalhe laranja (vinil) pode ser substituído por esparadrapo ou outra fita adesiva de boa durabilidade.

 

 

Para aumentar a vida útil dessa peça utilizamos um reforço no contorno do círculo.

 

 

Colocando um reforço na capa
Fig.13 - Reforço

Veja na capa fechada com o vinil de cor azul, como deve ser colocado o reforço no círculo. Aqui, também, o vinil pode ser substituído por esparadrapo e etc.

 

 

8 - Conclusão

 

 

Esse tipo de capa tem duração aproximada de 3 meses e acreditamos que o seu acabamento pode ser muitíssimo melhorado. A sua produção em série viabilizaria o uso de solda para plásticos, como aquelas usadas no fechamento das bolsas coletoras, ou o uso de costura reforçada nas laterais.

 

Na página seguinte será mostrado como colocar essa capa protetora.

 

 

 

 

Google

Pesquisa personalizada


O Portal Ostomizados é produzido por Engº Spencer Ferreira, portador da Doença de Crohn e da condição definitiva de ileostomizado.
Licença Creative Commons
Esse conteúdo é licenciado sob uma Licença Creative Commons - Atribuição Não Comercial - Compartilhamento pela mesma licença 3.0 - Não Adaptada.
Autorizações adicionais podem ser obtidas em faleconosco@ostomizados.com.
***Site criado em janeiro de 2007***
*Política de Privacidade*