Ostomizados de Friburgo precisam de ajuda.

 

 

 

 

:| BANHEIROS PÚBLICOS ADAPTADOS PARA OSTOMIZADOS |:

 

 

 

Estão se popularizando no Brasil e em outros países - como é o caso recente de Portugal no ano de 2009 - os conceitos que envolvem o projeto de autoria do criador desse site, engenheiro Spencer Ferreira, utilizados para a construção de Banheiros Adaptados para Ostomizados - disponibilizado na Internet desde meados do ano de 2005.

 

 

 

Primeiro banheiro adaptado para ostomizados
1º BANHEIRO ADAPTADO PARA OSTOMIZADOS

Essa imagem mostra uma Planta Esquemática, de autoria do Eng° Spencer Ferreira, da primeira versão de um Banheiro Adaptado para Ostomizados, disponibilizada na Internet com o título de “Banheiros para Ostomizados” em meados de 2005.

Notem que ela contempla, inicialmente, o uso de uma coluna de alvenaria para suportar um vaso sanitário infantil.

 

 

Instruções para implementação desse "Primeiro Projeto" podem ser visualizadas nesse site, clicando-se em Banheiros Adaptados.

 

 

 

 

1 - Os segredos da popularização dos Banheiros Adaptados para Ostomizados.

 

 

Supõe-se que essa popularização esteja acontecendo em decorrência da simplicidade dessa construção, tendo em vista que ela usa os mesmos apetrechos dos banheiros comuns. O segredo dessa inovação - que encanta a todos que a conhecem - está na quebra do paradigma que fez o homem acreditar e ter como certo, que as “bacias sanitárias foram feitas para sentar”.

 

Esse invento foi à resposta do autor aos seguintes questionamentos:

 

- Por que um vaso sanitário só pode ser usado por aqueles que sentam nele?

 

- O que impede que o vaso sanitário seja levado à altura do abdômen de uma Pessoa Ostomizada?

 

 

Esse é o fascínio dessa instalação sanitária! O seu segredo está na quebra do paradigma que estabeleceu uma relação única no contexto bacia sanitária versus usuário.

 

Também, a disponibilização de informações acerca desses banheiros na Internet, contribuíram para uma maior conscientização do público ostomizado que, então, passou a adotar uma atitude mais positiva com relação à cobrança desse direito, de tal forma que lhes seja garantido o acesso a instalações sanitárias apropriadas, sejam elas particulares ou públicas.

 

 

 

2 - A construção de Banheiros Públicos para Ostomizados.

 

 

Como já foi dito essa instalação não exige nenhum aparato para sua implementação e, também, nenhum tipo de material que não seja facilmente encontrado no mercado da construção civil. Além disso, pelo menos no Brasil, ela pode ser construída no mesmo espaço dos banheiros públicos adaptados para outras pessoas com deficiência, bastando apenas uma pequena área para acomodá-la. Também, sua utilização pode ser ampliada para cadeirantes ostomizados e outros indivíduos que usem cateteres no pênis ou na vagina.

 

Esse projeto é tão simples, que todos pensam conhecê-lo há muito tempo. Algumas pessoas chegam a dizer que ele sempre existiu, esteve ali, pronto para ser usado. É isso que o transforma em algo especial e de grande utilidade para os ostomizados.

 

Obviamente que ao longo dos últimos anos, com o surgimento de novos materiais construtivos, como é o caso dos vasos suspensos – aqueles fixados nas paredes ao invés de nos pisos - a sua construção se tornou, ainda, mais fácil.

 

 

 

Banheiro Público para Ostomizados
BANHEIRO PÚBLICO PARA OSTOMIZADOS

A imagem ao lado mostra outra Planta Esquemática, de autoria do Eng° Spencer Ferreira. Ela se mostra mais adequada aos Banheiros Públicos Adaptados.

 

Essa planta apresenta múltiplos apetrechos, não obrigatórios, como é o caso do espelho, prateleira, etc. Todos são sugestões do autor para oferecer mais conforto a Pessoa Ostomizada.

 

 

 

Hoje, como pode ser visto na Planta Esquemática acima, basta um vaso sanitário normal ou infantil - daqueles próprios para fixação em paredes –, uma descarga qualquer e uma ducha higiênica para termos um banheiro adaptado para ostomizados. Se somarmos a isso um pequeno lavatório, uma prateleira para se colocar os apetrechos para a limpeza das bolsas, um espelho frontal e, apenas isso, torna-se possível à construção de um Banheiro Adaptado para Ostomizados de alto padrão.

 

Um ponto importante a se observar nesse projeto é a altura do vaso sanitário em relação ao piso. Ela deve ser de tal monta que contemple o maior número de ostomizados possível. A sua construção deve ser feita de tal forma que as pessoas de estatura mais baixa possam usá-lo, usando um pequeno degrau de madeira ou de outro material, que pode ser guardado logo abaixo da bacia sanitária, sem problemas.

 

Esse degrau em Portugal foi feito com um material chamado por eles de "carbono" e pesa apenas 400 gramas. Dessa forma, essa instalação atende absolutamente a todos. Tanto é que a LOP (Liga de Ostomizados de Portugal) e LAHDB (Liga de Amigos do Hospital Distrital do Barreiro), essa última, entidade portuguesa autorizada pelo inventor a implementar esse projeto em toda Europa, já lançaram um desafio:

 

Apontem-nos uma só pessoa que não possa usar nossas "Instalações Polivalentes"?

 

 

Outro ponto a destacar é que sempre que possível deve-se escolher vasos sanitários que tenham um anteparo seco, na sua parte frontal, de tal forma que quando as bolsas forem descarregadas sobre eles, seus dejetos não caiam diretamente na água. Isso evita quaisquer tipos de respingos e facilita o controle da qualidade do bolo fecal.

 

 

 

Detalhes do anteparo seco de um vaso sanitário
VASO COM ANTEPARO SECO

Essa imagem destaca com uma seta amarela o anteparo seco de um vaso sanitário e o ponto onde será fixada uma ducha higiênica. Notem que ela é colocada do lado direito da instalação, porque dessa forma, nos banheiros públicos, oferece mais conforto a um número maior de pessoas - os destros.

Esse anteparo evita respingos, quando da higiene da bolsa coletora de fezes.

 

 

 

A ideia mostrada na “Cartilha” disponibilizada nesse site está voltada para o fornecimento de informações para construção de Banheiros Adaptados Individuais. Então, diferentemente do que é dito aqui, teve a prateleira citada substituída por uma pedra de mármore e o vaso sanitário usado foi do tipo infantil, fixado ao piso por uma pequena coluna de alvenaria. Contudo, essa ideia vem ganhando contribuições estéticas, ou melhor, surgem projetos derivados, onde se observa o conceito de elevar o vaso sanitário à altura do abdômen do usuário ostomizado.

 

 

 

3 - Princípios legais que norteiam a construção de Banheiros Públicos Adaptados para Pessoas com Deficiência.

 

 

No Brasil a construção de Banheiros Públicos Adaptados para Pessoas com Deficiência está previsto na Lei 5296, de 2 de dezembro de 2004, mas precisamente em seu artigo 22º que diz:

 

“Art. 22º - A construção, ampliação ou reforma de edificações de uso público ou de uso coletivo devem dispor de sanitários acessíveis destinados ao uso por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida”.

 

 

O Artigo 22º dessa Lei tem outros parágrafos que tratam dos “banheiros Adaptados” e o destaque fica para o parágrafo segundo, que diz:

 

§ 2º  - Nas edificações de uso público já existente, terão elas prazo de trinta meses a contar da data de publicação deste Decreto para garantir pelo menos um banheiro acessível por pavimento, com entrada independente, distribuindo-se seus equipamentos e acessórios de modo que possam ser utilizados por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida.

 

Nesse contexto, considerando-se os princípios relativos à “acessibilidade”, também, destaca-se a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, ambos ratificados e promulgados pelo Decreto Legislativo n° 186, de 9 de julho de 2008 e pelo Decreto Presidencial nº 6.949, de 25 de agosto de 2009.

 

Ainda, no contexto da "acessibilidade", destaca-se a norma ABNT NBR 9050/2004 que trata da "Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos".

 

Com relação à construção propriamente dita, em se tratando do escoamento de dejetos, a Norma Técnica ABNT NBR 15097/2004 deve ser rigorosamente observada, porque ela trata dos equipamentos projetados e destinados a esse fim.

 

 

 

IMPORTANTE:

 

Com relação ao escoamento dos dejetos, provenientes dessa Instalação Sanitária para Ostomizados se deve ter em conta que eles não podem ser feitos com equipamentos destinados a outros fins, como é o caso de pias, tanques ou quaisquer outros artefatos semelhantes.

 

Cabe lembrar que os sifões, os tubos de escoamento, as caixas de passagem e outros acessórios utilizados para a instalação de bacias e/ou vasos sanitários, recebem tratamento bastante diferente daquele destinado as pias, tanques e similares. Então, nessas instalações devem ser usados apenas vasos sanitários ou equipamentos equivalentes, projetados para o escoamento de dejetos e de acordo com a Norma Técnica ABNT NBR 15097/2004 ou outra que a substitua em outros países.

 

As imagens apresentadas nessa página foram divulgadas, anteriormente, no site Ostomizados & Cia, cujo endereço na Internet é www.ostomizadosecia.com.

 

 

 

Publicação: 28/11/2009 - 14:15:13 GMT.

Autoria: Engº Spencer Ferreira.

 

 

 

 

 

Google

Pesquisa personalizada


O Portal Ostomizados é produzido por Engº Spencer Ferreira, portador da Doença de Crohn e da condição definitiva de ileostomizado.
Licença Creative Commons
Esse conteúdo é licenciado sob uma Licença Creative Commons - Atribuição Não Comercial - Compartilhamento pela mesma licença 3.0 - Não Adaptada.
Autorizações adicionais podem ser obtidas em faleconosco@ostomizados.com.
***Site criado em janeiro de 2007***
*Política de Privacidade*